segunda-feira, junho 30, 2008

Velha? Eu não!

Quando nos damos conta, se tivermos tempo para isso, acabamos por reparar que afinal a pdi (puta da idade) nos começa a invadir o pensamento. Não queremos pensar que estamos a envelhecer! Nunca! Ainda ontem tinha 20 anos, resmas de gajos atrás de mim, ia para a praia mostrar o corpinho maravilhoso, tinha sonhos, um namoro sem responsabilidades, um príncipe num cavalo branco… ah, mas agora branco já tenho é cabelos! Não é que eu repare nisso, mas as pessoas que me rodeiam fazem questão de me dizer; “estás cheia de cabelos brancos!”. Não é que isso me irrite, até acho que nos dão um certo charme! Eu não estou a ficar velha, recuso-me a pensar nisso! O tempo é que passa por nós… Azarico!
E aqueles putos que vimos nascer que já estão a pedir para assinar fitas da faculdade, e os nossos primos mais novos que já se casaram e têm filhos, e os filhos dos nossos amigos que nasceram ontem, hoje já têm dentes e opinião!! Que merda é esta? O tempo afinal não parou? Será que estou mesmo a ficar velha? Será que já é despropositado ir a uma discoteca, ir beber um copo com os amigos, ir para a rua gritar pela selecção, dar um beijo apaixonado no meio da rua, viver novamente um grande amor… Será que fazemos aquelas figuras ridículas que condenávamos quando éramos novos? “olha a cota a beijar o velho…”. Lembro-me perfeitamente de quando a minha mãe fez 30 anos! Já tinha uma certa idade.. e quando fez os 40 anos, ui..? Aos 50 é que disse mesmo, já está a ficar velhinha coitada…
Será que ficamos fora de validade? “Consumir de preferência antes dos 40 anos!”, ou “prazo de concretização de sonhos até aos 30 anos!” Isto é terrível!!
Bem, acho o truque é arranjar amigos mais velhos, bem mais velhos!! Assim, seremos eternamente mais novos… a pdi para eles é que é lixada!! Coitados! Nós estamos na boa, ainda temos muito que viver para chegar à idade deles. Olha, o que nos espera… ainda tenho muito que envelhecer para chegar a esse ponto, eu sou uma jovem!!
Os cabelos brancos é só uma piada do tempo… ruga de expressão, enfim, é uma marca de nascença! As dores que temos na coluna não é nada mais nada menos que o nosso esforço diário… nós trabalhamos muito! Antes não fazíamos nada, era só boa vida… As costas e os ossos só nos doem porque nunca trabalhamos tanto, é natural!!
É, a velhice ninguém a quer… nem eu! Nem queiram… se a tiverem, olhem, vendam-na!
E fazer anos? Quando é o dia do nosso aniversário? Já tenho 30 e tal… quase 40?! Não importa, o que interessa é o espírito… (até aos trinta o pessoal anda bem, só queremos ser considerados adultos, maduros… a partir dos 40 já nos sentimos muito maduros, com um medo do caraças de apodrecer a qualquer momento)
Importa acreditar que tudo nos pode acontecer a qualquer momento… não há idade, nem prazo para sermos felizes. É isso que nos mantém jovens…
O que se perde pelo caminho do passado, ganha-se no caminho do futuro… então estamos a caminho de ganhar alguma coisa, certo… é nisso que acredito!
Os cabelos brancos, oh meu amigo… não se pode fazer nada! A minha avó tem muitos e é uma jovem!
O tempo passa como o pensamento… damos conta e já estamos a pensar nouta coisa. Que é como quem diz, damos conta e já não temos 20 anos! Temos uma vida construída… somos adultos! Somos os maiores!
A esperança são aquelas jovens de 40 que continuam a ter resmas de gajos atrás delas, que ainda tem corpinho para ir à praia, que ainda tem sonhos, que vivem um grande amor… e que… tem cabelos brancos pintados de castanho… (eheheh, não se pode ter tudo!).
Tenho a consciência livre e jovem porque penso que ainda temos muito que aprender, e em breve vamos ter muito para ensinar aos que vêm por aí… é o nosso alento, a nossa bengala…
A vida é uma escola… e na escola somos todos jovens! Recuso-me a ser a professora velha e resmungona que nos dava reguadas na palma da mão!

2 comentários:

Anónimo disse...

buaaa!!! que depré! pronto, ok nao sou velha, mas...já passou mais tempo por mim do que por ti!!!!
Susana

Chinoca disse...

Viva a capacidade de manter essa alegria "infantil" essa capacidade de deslumbramento com coisinhas pequeninas, o pensamento de que temos ainda muitas metas para concretizar.
Velhos são aqueles que já não sonham, e se sentam a ver passar o tempo. Velhos são aqueles que pensam que há alturas certas para isto e para aquilo e que, passado esse, tempo, já não se pode fazer mais nada...
A altura para fazer, sonhar, acontecer é hoje, e quando o homem quiser!