quinta-feira, dezembro 11, 2008

Peça de Natal

Pediram-me para ter uma ideia, como se me tivessem pedido para ir buscar um copo de água. As ideias não se têm à força, é uma coisa que acontece quando menos se espera. E aconteceu! Surgiu…
Adiante, o que me pediram para fazer, foi pensar numa possível festa de Natal para crianças do primeiro ciclo. Obviamente que quem mo pediu foi uma professora!! Parece que agora não tinha muito tempo… é por causa dos impressos, o modelo de avaliação, as reuniões, greves, manifestações, aquelas coisas que nós sabemos… A luta! Bom, eu quis dar o meu modesto contributo e escrevi esta peça, de forma a que todos os alunos pudessem intervir, evitando também perder muito tempo com ensaios… O texto pode ser lido enquanto as crianças representam livremente, portanto não será preciso ensaiar muito!

Publico aqui porque me disseram que era uma pena deixar este texto perdido na gaveta… Ora, sem qualquer tipo de exibicionismo, até porque tenho algumas limitações (sou engenheira, não sou mãe, nem tia, e as crianças são giras à distância) foi isto que saiu:

Atenção que esta peça está reservada aos direitos de autor! ;)



O NATAL DA JOANA

A cena desenrola-se entre o quarto da Joana e a sala. Joana dorme no quarto, desce até à sala onde encontra dois grandes sacos vermelhos. Tudo acontece à medida que Joana vai descobrindo o que está dentro dos sacos, que são, nada mais nada menos que os sacos do Pai Natal…
Lá dentro estão... os presentes!!


Numa noite de Natal,
Daquelas em que as crianças perdem o sono,
Estava Joana deitada
Na sua cama, no seu trono.
Ela era uma princesa
E tinha tudo o que queria,
Brinquedos e amigos,
Tinha paz e alegria.
Mas a Joana é uma menina diferente,
Não pensava só no seu umbigo,
Preocupava-se com as crianças mais pobres
E com o mundo que estava em perigo.
Então nesta noite,
E por saber que era Natal
Fechou os olhos com muita força
E pediu um desejo especial;
Que todas as crianças do mundo tivessem um sorriso,
E que os adultos fizessem do mundo um paraíso!
Subitamente (barulho dos sacos), Joana estremeceu na cama,
Levantou-se num sobressalto
E foi à sala de pijama.
Ficou surpreendida com que estava a ver
Eram os sacos do Pai Natal,
Não, não podia ser!
Curiosa, abriu um saco
Abriu o outro logo a seguir
Pareciam sacos vazios,
Mas viu alguma coisa a surgir.
Os sacos pareciam ganhar vida
Eram sacos encantados!
Lá dentro tinham meninos,
E pareciam trazer recados!
Joana estava assustada,
Parecia um sonho de encantar,
Com tantos meninos na sala
Os pais podiam acordar!
Mas era melhor não pensar nisso
Era uma noite diferente,
Hoje era Natal, e este o seu presente!
Que alegria se vivia,
Parecia o recreio da escola,
Uns brincava à apanhada,
Outros jogavam à bola…
As meninas saltavam à corda
E eles imitavam aviões,
Outros pareciam não fazer nada,
Eram só uns trapalhões...
Tinham todos um grande sorriso,
Estavam alegres e contentes,
Era uma noite encantada,
Mas onde estavam os presentes??!

Não havia embrulhos, nem laços, nem nada
Mas Joana não ficou decepcionada!
Correu atrás duns meninos
Que jogavam ao esconde-esconde,
Ela queria saber quem eram e vinham de onde?!

- Eu sou o Amor – mas as pessoas ignoram-me quando passo, venho do coração mas pensam que sou do espaço!
- Eu sou a Esperança – e as pessoas deixam-me morrer, não sabem que sou eu que as faço mover!
- Eu sou a Felicidade - e as pessoas pensam que não existo, deixam-me escapar por aquilo... e por isto!
- Eu sou a Coragem - sou como um elixir, dou força aos fracos que me quiseres possuir
- Eu sou a Paz - e estou a desaparecer, as pessoas não percebem, que com guerra não se pode vencer
- Eu, a Solidariedade – de mim só se lembram agora, venho do mundo inteiro mas toda a gente me ignora!
- Eu sou a Saúde – eu sou do melhor que há, para mim não há remédio, enquanto aqui estiver, tudo o resto será mistério!
- Eu sou a Liberdade – eu é que sou a maior, sem mim estás tramada, podes querer andar e ficarás sempre parada!
- Eu, o Respeito – eu venho da educação pessoal, mas também caí em desuso, às vezes tratam-me mal, é um autêntico abuso!
- Eu sou a Moral – venho da consciência e do coração, ajudo a distinguir o bem do mal, mas também estou em extinção!

Depois das apresentações,
E de tudo explicadinho,
Joana percebeu quem era cada menino.
Eram sentimentos importantes
E outras coisas que tais,
Eram para lembrar todos os dias
E não só nos Natais!
Joana chamou os meninos todos,
Com muito boa intenção,
Queria metê-los nos sacos,
E todos disseram que não!
Estes sentimentos estavam esquecidos
Naqueles sacos sem fundo,
Mas Joana tinha-os despertado
Agora queriam ficar neste Mundo!
Então decidiram em segredo,
Fazer uma magia, uma coisa diferente,
Sacudiram os sacos no ar
E ficaram no coração de toda a gente!


Depois deste bonito sonho,
Joana acordou com um sorriso,
Abraçou o pai e a mãe,
E sentiu-se no Paraíso!

- Feliz Natal Joana (professora)
- Feliz Natal a todos! (todos os meninos)

FIM

8 comentários:

Chinoca disse...

Gosto muito muito muito!!
Acho que deveria ser representada em todas as escolas e vista (e interiorizada) por todos os pais e meninos...

Sabes uma coisa? Acho que devias apostar nisto das histórias para crianças!!

Beijo

Chinoca disse...

Já agora...
Posso utilizar numa festa de catequese? Acho que vai ser uma mais valia...

Chinoca disse...

Acho que que a professora vai ter um sucesso, com esta peça! :)

Alma disse...

Olá! Que fixe que gostaste... Acho que podes usar com os teus miúdos da catequese, mas vais ter que pagar os direitos de autor!! ahaha Em relação à professora que me pediu... espero que tenha sucesso! ;)
Obrigada pelo apoio! Talvez comece a escrever histórias para crianças. Editora?!
Beijo

Anónimo disse...

Estava à procura de alguma coisa diferente! encontrei! Penso que se ler isto aos meus alunos não estarei a ir contra nada, mas sinto que devo pedir autorização (?)... os professores estão mesmo enrrascados, mas atenção que não é por andarmos em manifestações! espero que a sua amiga não se importe que eu use isto, eu vou só ler! também não tenho vagar de ensaiar...
Passarei mais vezes!
Otília

Anónimo disse...

sem palavras... nada a acrescentar!!! fantastico! e acredita que ainda faremos esta peças juntas ;)

beijos!!
Susana

Chinoca disse...

Olá! Usei e funcionou muito bem. Não se fez a peça, mas o texto foi lido, viu-se que crianças e pais estavam muito atentos, alguns jovens leram a parte dos "sentimentos" e toda a gente gostou muito! Obrigada e continua!

RC disse...

Olaré!!
Sim senhora!! A afilhada faz-se!! Vai escrevendo que um dia arranjo-te quem te edite as histórias!!
Uma bejufa grande nessas bochechas!!
Rute