quarta-feira, setembro 03, 2008

Uma mensagem SMS

A tecnologia de hoje obriga-nos a desvalorizar o empenho, ou esforço com que antigamente fazíamos as coisas. As coisas que se fazem hoje em dia parece que perdem o valor. Antes era tudo mais difícil, mas tudo com muito mais conteúdo! As pessoas já não se dão, não se entregam. Já nem nos lembramos o que é um compromisso! Se nos atrasarmos é só enviar uma mensagem, ou ligar a dizer que estamos atrasados, o outro que espere! Se não nos apetecer ir, é só ligar e inventar uma desculpa qualquer de última hora. Antes não, antes tínhamos mesmo que aparecer porque alguém estava à nossa espera e não havia como o avisar, tínhamos mesmo que ir era uma questão de bom senso, de palavra, de responsabilidade! Não é à toa que estes valores cada vez mais estão a desaparecer...
Onde estão os recados de amor escritos num bocado de papel, onde está a nossa agenda riscada e rabiscada, com desenhos e recortes que íamos coleccionando? Onde está a letra daquela pessoa que me escreveu, onde está a personalidade das coisas? Num cartão SIM... num telemóvel topo de gama, numa mensagem na nossa caixa de correio electrónico... Tudo vazio, frio, sem alma, sem sorriso, sem cor... cinzento!
O correio dos CTT hoje em dia é só uma caixa para receber publicidade, contas para pagar, e pouco mais. Antigamente a caixa de correio era um género de caixinha de surpresas! Lembro-me quando a minha avó me mandava o correio e volta e meia lá estava uma carta, um postal de alguém. Era uma alegria! Agora, abrimos o correio, subimos no elevador e olhamos desinteressados para a papelada que vamos amontoando em casa para forrar o caixote de lixo! Nem ao entrar em casa sorrimos, porque enfim, ao abrir o correio não está lá nenhuma surpresa! Só se for uma multa...
Por outro lado, reparem que esta tecnologia nos tira alguma (para mim muita) privacidade! Se não atendemos o telemóvel, temos que justificar... se não respondemos a uma mensagem temos que justificar, se não nos apetece falar com uma pessoa temos que falar. Se não temos nada para dizer cobram-nos porque não dissemos nada... Se atendemos querem saber onde estamos, com quem, para onde vamos... Bolas!!
Voltar ao que era antigamente é completamente impossível. Hoje em dia quem não tem telemóvel é um completo parolo! Toda a gente tem pelo menos 1 telemóvel, 1 ou 2 endereços de e-mail, uma conta no youtube... etc, por aí fora! Quem não tem, não é deste mundo! Alías, há pessoas que têm só por ter. Outras que têm não se sabe bem porquê, mais valia pegar no telemóvel e atirarem com ele contra a parede! Uma pessoa que tem telemóvel não tem desculpa para passar um dia inteiro sem dizer nada à mãe, ao pai, à avó, ao tio, ao amigo, ao namorado, à namorada... Não há desculpa! Se tem telemóvel, tem que usar! Se não for para usar, não tenham, para não ser cobrados! Bolas, é difícil?!
Mas a verdade, é que dá muito jeitinho, sim senhor!
“Recebes mensagens minhas que te arrepiam, que te fazem sorrir, que te entusiasmam, que te acarinham, que te fazem sentir amada, que te confortam, que te angustiam. Vês o que estou a perder porque passas um dia sem dizer nada?! Eu espero, e desespero e um dia vou deixar de esperar!”
E as relações acabam assim, culpa do telemóvel, não é da falta de comunicação das pessoas! J
Já que temos esta tecnologia, vamos usá-la a nosso favor. Vamos lá responder a quem nos acarinha...
Aproveito que estou aqui, para vos mandar um beijo, ou muitos, que certamente estão em falta. Reconheço que sou daquelas pessoas que mais valia atirar com o telemóvel contra a parede! Mas quando não me respondem fico lixada! E não somos quase todos assim... ? mea culpa, mea culpa

3 comentários:

Chinoca disse...

Foi uma boa auto análise, mas reconheço alguma melhoria!! ;) Beijos grandes!!

Tentativas Poemáticas disse...

Olá Sofia
Passei por Belas, comi um fofinho e bebi uma bica e eis que encontro o seu lindo blogue.
Hoje, porque estou de passagem, quis só desejar-lhe Felicidades.
Abraço
António

Tentativas Poemáticas disse...

Porque o meu código postal é BELAS (somos vizinhos) passei para ver mais trabalhos seus.
Espero que esteja tudo bem consigo.
Beijo com ternura.
António